Contra o capitalismo, o seu governo e a sua UE. Por uma Europa dos trabalhadores e um mundo socialista

A oposição à UE é possível por uma força internacionalmente coordenada da classe trabalhadora, organizada nas ruas, bairros, fábricas, escolas e locais de trabalho, focada nas preocupações concretas da população trabalhadora e englobando as lutas feministas, antirracistas, queer, antiguerra e ambientalistas, que reconheça que fazer frente às crises económica, social e ambiental exige romper com as regras da UE e com o sistema capitalista e que proponha uma planificação democrática à escala europeia, uma Europa de estados socialistas, parte de um mundo socialista.
Read more

Invasão de Rafah: Intensificar os protestos internacionais para impedir o banho de sangue em Gaza

– Artigo publicado originalmente em árabe a hebraico a 7 de Maio de 2024 pela Luta Socialista (secção da ASI em Israel-Palestina) e traduzido pela Liberdade Socialismo e Revolução (secção da ASI no Brasil) – O “Gabinete de Guerra” israelita decidiu por unanimidade iniciar a primeira fase da catastrófica invasão de Rafah, onde atualmente se encontra a maioria da população ...
Read more

Construir uma luta de massas internacional contra o massacre sobre o povo palestiniano! 

O que tudo isso mostra é que há um grande potencial para um movimento anti-guerra multi-racial, multi-étnico e que cruza fronteiras. É apenas essa luta, a luta de massas lideradas pela classe trabalhadora de toda a região do médio oriente que pode realmente garantir a liberdade do povo palestiniano. O que estamos a ver é a mais alta expressão da barbaridade do sistema capitalista. Diante desse sistema de opressão e exploração não há nenhuma solução possível que possa garantir paz ou liberdade. É só com a derrota desse sistema, com o fim do capitalismo e a instalação de uma confederação socialista do Médio Oriente e baseada nos interesses da classe trabalhadora que podemos garantir a autodeterminação e a liberdade para todos.
Read more

Resolução da ASI sobre a Nova Guerra Fria e a guerra na Ucrânia

A ASI identificou a Guerra Fria entre o imperialismo estadunidense e chinês, que se afirmou como “o elemento mais importante das relações mundiais”. A guerra na Ucrânia, o aumento das tensões militares e a corrida armamentista, a economia e o comércio mundiais, as lutas de poder por influência e recursos, as crises políticas – tudo isso está agora entrelaçado com a Guerra Fria imperialista. É evidente que, em última instância, é a luta viva das forças de classe que decidirá o resultado desse processo complexo.
Read more