Contra o massacre sobre o povo Palestiniano, um movimento de massas internacional! 

A 31 de Outubro, os sindicatos belgas do setor dos transportes declararam recusar transportar armas destinadas a Israel, e, em particular, ao genocídio em Gaza. Desde então, outros seguiram o exemplo. Estivadores e sindicatos na Catalunha e em Génova, em Itália, travaram envios para Israel. Na Austrália, centenas de sindicalistas e manifestantes ocuparam portos e forçaram um navio Israelita a alterar a rota. Nos EUA e no Reino Unido, houve bloqueios vários a navios militares e fábricas de armamento, incluindo a INKAS, a BAE Systems e a Elbit Systems. As ações dos trabalhadores e da juventude contra o envio de armas a Israel e contra o massacre em Gaza são urgentes e devem ser generalizadas e intensificadas. 
Read more

A primeira Intifada (1987-1993): uma luta de massas contra a ocupação israelita

Na noite de 8 para 9 de dezembro de 1987, um camião-cisterna israelita embateu contra um táxi que aguardava na fila para entrar em Gaza. Entre os quatro mortos encontravam-se três residentes de um campo de refugiados que, tal como 100.000 outros palestinianos, eram obrigados a fazer a viagem todos os dias para trabalhar em empregos de miséria em Israel. No dia seguinte, um jovem manifestante foi morto a tiro pelas forças israelitas. A revolta espalhar-se-ia como um incêndio.
Read more

Construir uma luta de massas internacional contra o massacre sobre o povo palestiniano! 

O que tudo isso mostra é que há um grande potencial para um movimento anti-guerra multi-racial, multi-étnico e que cruza fronteiras. É apenas essa luta, a luta de massas lideradas pela classe trabalhadora de toda a região do médio oriente que pode realmente garantir a liberdade do povo palestiniano. O que estamos a ver é a mais alta expressão da barbaridade do sistema capitalista. Diante desse sistema de opressão e exploração não há nenhuma solução possível que possa garantir paz ou liberdade. É só com a derrota desse sistema, com o fim do capitalismo e a instalação de uma confederação socialista do Médio Oriente e baseada nos interesses da classe trabalhadora que podemos garantir a autodeterminação e a liberdade para todos.
Read more